Desaparecimento do Padre.

É verdade que existem igrejas que matam os filhos de Deus?


quadro impulso
Impulso - Dido

Bom dia padre.

Bom dia meu filho, este é o bispo, veio nos fazer uma visita.

Bom dia, senhor bispo.

É este o menino, completou o padre ao visitante.

O bispo, tirou seus óculos, correu um olhar de cima a baixo no menino, inclinou-se, com uma voz sarcástica, falou:

Ah, então é você, você é o tal do menino que fala a língua de Deus.
Diga-me, em que língua vocês conversam?
Latim, Italiano, Inglês ou Alemão?

Com uma risadinha disfarçada, continuou o bispo.
Podes me contar essa história? Einn.

Sim, posso sim, eu conto, sente-se ali naquele banco, vou contar tudinho ao senhor, respondeu o menino.

Assim que o bispo sentou-se, o padre, conhecendo bem o garoto, imaginava qual seria a história desta vez, ficou de pé atrás do banco, mais uns foram se juntando em volta...

O menino, sério, com o dedo apontado próximo ao rosto do bispo, foi falando:

Bispo, a língua falada por Deus.
É a mesma que falam os sacerdotes, os não sacerdotes.
Os reis, os não reis.
Os sábios, os não sábios.
Os ricos e os não ricos.

O senhor está entendendo?
Afastando-se pouca a pouco continuava, fazendo umas caretas, esticando os lábios, com a língua fora da boca, gritava.

É essa a língua, bispo, o senhor entende essa?

Com gestos, mil macaquices, correndo em volta da árvore,
Mostrando a língua, continuava.
É essa, venha, pegue-me bispo, venha, é essa.

Menino abusado, bravejava o bispo furioso, espumando.
Se pego você, te arranco as orelhas.

Juntando umas pedras, arremessava na direção do menino,
Tirando lascas da árvore.

Todos na praça caíram na gargalhada,
o padre disfarçando, olhava para o céu.

Impulso. Energia.
A linguagem é esta bispo.
A linguagem é esta.

O bispo enraivado, procurando outras pedras, foi ai que o menino, antecipou-se.

Perdão bispo, foi uma brincadeira.
Fiz esta provocação ao senhor só para exemplificar.
Perdoa-me bispo, foi uma brincadeira.

Calma bispo, responda-me,
O senhor certamente sabe, pregam na igreja,
Perdoar 70 vezes 7, sua razão sabe disso,
Porém a razão não comanda.
Nos sujeitamos aos impulsos, escravizados quase.

Algumas palavras, umas caretas, desestabilizaram sua razão, causando um turbilhão, seu ego encobriu a verdade que pregas sobre o perdão.
Impulso, energia, comandaram...
Entendes?

Olhe aquele barco na praia, aquele com mastro alto.
A vela é sua razão.
O vento, é o impulso a energia.
Percebes a submissão?

Temos que ajustar as velas,
com a força e direção do vento.

Impulso, energia.
Esta é a linguagem a dominar primeiro.

Deus é só Deus,
Linguagem é só linguagem,
Palavras são só palavras.

O bispo resmungando, levantou-se, sem falar nada foi caminhando em direção a igreja,
O padre seguindo-o, um pouco mais atrás.

Ei padre, espere.
Posso varrer o pátio da igreja no final da tarde?

O padre, olhou para o menino, com voz amorosa, respondeu.

Sim, meu filho, podes sim. Que Deus te abençoe.

Amém, disse o menino.

Deixe seus sapatos na porta dos fundos, vou limpá-los também, os seus e os do Bispo.

Obrigado meu filho. Que Deus te abençoe.

O sol já estava se pondo, quando o menino terminou de lustrar os sapatos, do bispo e do padre. O pátio da igreja varrido. Como sempre fazia, passou no pequeno escritório, logo nos fundos onde ficava a cozinha.

Com licença padre, o senhor precisa de algo mais? Perguntou o menino.

Obrigado meu filho, pegue uns pães ali, umas frutas, pegue o que quiseres.

Obrigado padre, tenho o bastante para hoje.

Por alguns segundos ficou parado.

Bispo posso lhe fazer uma pergunta? Falou o menino.

Podes, disse o Bispo. Levantando a cabeça.

É verdade que existem igrejas que matam os filhos de Deus? Dizem ser Deus quem os mandou?

O senhor sabe se é verdade isso?

O bispo puxou a cadeira de lado.

Matar o que? Deus?

Sim, tenho este livro, puxando da sacola que estava em sua mão. Ganhei vários livros de um senhor, que ajudei lá na estação. Me doou um baú cheio de livros, estava indo morar em outro país, não poderia levá-los todos. Então deixou comigo.

Tem uma parte aqui, diz que a igreja queimava pessoas, ainda vivas. O senhor sabe se isso é verdade?

O bispo levantou-se, pegou fortemente no braço do menino, levando até a cozinha, junto ao fogão. Jogue aí nas chamas, queime este livro. Ou queres ser queimado também? Disse asperamente, empurrando o menino porta a fora.

O padre, parado tudo assistiu.
Nunca nada mais foi comentado, entre bispo e padre sobre o menino.

Naquela mesma noite, um raio deu início ao incêndio, toda igreja foi consumida pelo fogo, todo o vilarejo foi envolvido pelo clarão.

O bispo, foi levado ao hospital da cidade vizinha.

Perguntado sobre o ocorrido, ele relatou:
Escutou um barulho, levantou-se, ao tentar abrir a porta, a chave não estava na porta. Voltou para cama, minutos depois a fumaça começou invadir o quarto. Gritou por socorro, em segundos o fogo já estava consumindo a porta.
Tive que saltar, para não morrer queimado, dizia o Bispo.

Perguntado sobre o raio:
Vi sim, uns minutos depois que pulei pela janela, ali caído, vi perto da torre, eu vi um raio. Respondeu.

Quebrou só as pernas, e algumas costelas.

Quanto ao padre:

É comum ainda, nas conversas da praça.
Morreu queimado. dizem uns.

Mas não encontram nenhum corpo, nenhum vestígio de corpo queimado, nada foi encontrado nos destroços. Dizem outros.

Depois de 5 anos de busca, o padre foi declarado morto.

O Bispo, alguns meses depois, ainda de muletas, apareceu na praça perguntando sobre o menino.
Quando lhe avisaram, o menino veio correndo até a praça.

Olá Bispo., feliz em revê-lo. Disse o menino. O senhor está bem?

O Bispo, apoiado nas muletas, com uma das mãos, outra no ombro do menino, disse.

Sim, meu filho, estou bem. Voltei para responder sua pergunta.

Sim, Existiram igrejas que já queimaram filhos de Deus.

Quanto ao mandante, acredito não ser Deus, ele jamais mandaria matar um de seus filhos.

Obrigado Bispo. Respondeu o menino já perguntando.

E sobre Anjos? Amigos Anjos? Anjos que moram com ele? Queimaria?

O Senhor, sabe, se Deus os queimaria? Perguntou o Menino.

Não sei, isto eu não sei meu filho.

Impulsos, energias, raios e trovões. Isto que aprendi. Controlarmos é a Linguagem.

É só isso que sei.

Respondeu o Bispo sorrindo.

Próximo Episódio: Criação sem Cor.


( pensar o não pensado - incolore creare)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nietzsche - Os valorosos Medíocres.

O Viciado Nietzsche

A Mulher