Ep.07 Sempiternas Miragens - Enfermeiro Nietzsche

Deus está vivinho, vivinho.


Por detrás dos teus pensamentos e sentimentos, meu irmão, há um senhor mais poderoso, um guia desconhecido. Chama−se "eu sou". Assim Falou Zaratustra - Friedrich Nietzsche
Por detrás dos teus pensamentos e sentimentos, meu irmão, há um senhor mais poderoso, um guia desconhecido. Chama−se "eu sou".
Friedrich Nietzsche

Na vila, ainda na areia, a cabana dos pescadores, rodeada de barcos. Todas as manhãs, ali a vida vivia, a vida da comunidade ali vivia.
Uns remendavam suas redes. Outros com uma mistura, escura e viscosa, interditavam as fissuras, precavendo-se do afundamento, que o próprio fluido donde brota seu sustento, em mortal veneno transforme-se.

Por dias fiquei ali rodeando, meu caro Senhor.

Observar a totalidade, com meu olhar de menino, pouco me revelou.

Entretanto ao descravar a luneta, da base onde instalada estava minha base de observador, importantes coisas reveladas me foram.

Nítida é a imagem.

Observando os Peixes:

Uns veem peixes, como dinheiro, lucros. (denominam-se pescadores).

Outros veem peixes, como alimento essencial a sobrevivência. (denominam-se consumidores)

Intrigado me questionei.

Os peixes, como será que eles próprios se veem?

Colocando-me na base, onde os peixes têm seus olhos fixados, no primeiro segundo percebi.

Dizendo, a mim mesmo, como se peixe fosse:
Pescadores, consumidores, inclusive eu, jamais extaríamos na lista de convidados, é o que imaginei, jamais teríamos permissão de participarmos do apagar das velinhas dos seus aniversários.

Peixe é só peixe. Pescador é só pescador.

Consumidor, disseram os peixes: são uns esfomeados. (Brincadeira Senhor, fui eu que disse isso.)

Por dias, fiquei observando o movimento na cabana.

Todos estão equivocados. Peixes, são só peixes. Pescadores só pescadores. Eu, eu sou um observador, só mais um observador, contaminado.

Dedução: Todos estão contaminados. Contudo, percebi a conexão, a perspectiva altera o panorama, altera a paisagem.

Quando utilizo os olhos do peixe: vejo como peixe.

Quando utilizo os olhos do pescador: vejo como pescador.

Faça, essa experiência, utilize seu olhar de filósofo. Arrisco a dizer-te que veraz diferente, tudo que eu mesmo vi, com meu olhar de menino.

Experimente.

Ah, lembrei. Sobre Deus:

"Será possível que este santo ancião ainda não ouviu no seu bosque que Deus já morreu?" Assim Falou Zaratustra - Friedrich Nietzsche.

Quando instalo minha luneta, junto ao altar, lá na capela. O vejo, vivinho, vivinho, olhando lá do altar, Deus está vivinho, vivinho.

(pensar o não pensado - incolore-creare )

Próximo Episódio: DEUS, o louco que matou FRIEDRICH NIETZSCHE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nietzsche - Os valorosos Medíocres.

O Viciado Nietzsche

A Mulher